Bandeirantes/MS, 27 de maio de 2024

Redes Sociais

Rapaz jogou mãe em rodovia e, depois, dirigiu 35 km com o corpo, diz polícia

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul concluiu as investigações sobre a morte da psicóloga Simone do Nascimento Kuzminskas, 46 anos, ocorrida na tarde do dia 7 de abril, em Três Lagoas, cidade a 327 km de Campo Grande. Para a investigação, o filho, Matheus Nascimento Kuzminskas, de 24 anos, matou a mãe e, depois, dirigiu até Andradina (SP) ao lado do corpo, percorrendo trecho de aproximadamente 35 quilômetros.

A investigação localizou várias testemunhas que deram cronologia do caso. Foi apurado que momentos antes de pegarem a estrada, mãe e filho discutiram em um rancho onde estavam. “O autor, que é usuário de drogas, foi visto no rancho, bastante alterado, discutindo com a mãe, porque ele queria guiar o carro até a cidade”, descreve trecho de nota da Polícia Civil.

Na sequência, mãe e filho foram vistos dentro do carro na MS-320. “Nós localizamos testemunhas na rodovia, que liga a área rural onde eles estavam até a zona urbana de Três Lagoas, e viram esta vítima parada na rodovia. A testemunha parou também. A vítima pediu ajuda e disse que estava sendo agredida pelo filho”, explicou a delegada Letícia Mobis, responsável pela investigação.

Outra pessoa que passava pelo local relatou que viu Simone sendo forçada a entrar no carro. “A testemunha viu o filho pegando a vítima pelo braço e pela nuca, a colocando novamente dentro do carro, e seguiu o caminho. Depois, quando a testemunha olhou pelo retrovisor, ainda viu a vítima ‘engatinhando’ pela rodovia.

Conforme relatos feitos por outras testemunhas à polícia, a “última visão que se tem desta vítima, cerca de 8 quilômetros à frente, é do corpo dela caindo de dentro do carro”, contou a delegada.

Mesmo assim, o rapaz continuou o trajeto e seguiu até Andradina, a 35 km de distância de Três Lagoas, para supostamente pedir socorro aos avós. Lá, contou que a mãe se jogou do carro em movimento. O pai de Simone retirou a mulher do carro e tentou fazer massagem cardíaca, mas sem sucesso. Então, levou a vítima para uma unidade de saúde, mas ela já estava morta.

Os familiares estranharam o fato de Matheus estar dirigindo, porque Simone não deixava o filho tomar a direção do carro. “(…) os elementos que cercam o óbito de Simone são totalmente nebulosos e que há dúvida sobre o suposto suicídio”, consta no boletim de ocorrência, em que é citada a estranha opção do rapaz de tentar socorrer a mulher apenas em Andradina e não em Três Lagoas. Também é citada a lacuna do que ocorreu em intervalo de quatro horas, entre o acidente e a chegada até a casa, na cidade paulista.

O rapaz também já tinha histórico de agressão contra a mãe, em 2022, o que levantou a suspeita da polícia sobre feminicídio, o que foi confirmado com a investigação. Matheus foi indiciado e permanece preso em SP, em função do flagrante que foi feito lá por embriaguez ao volante e omissão de socorro. Além disso, a delegada representou pela prisão preventiva dele pelo feminicídio e aguarda manifestação da Justiça.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também